Pesquisa

Carregando...

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Família: Ideia genial de Deus

Leitura: ESE cap. 14 itens 1 e 2
Prece inicial

Primeiro momento: explicar que Deus criou os seres humanos, os animais e as plantas. Assim, existem as famílias dos seres humanos, dos animais e das plantas. As pessoas de uma mesma família geralmente vivem em uma mesma casa, mas também pode ocorrer de morarem em casas separadas, quando os pais se separam ou os filhos crescem e vão morar fora, sozinhos ou com o marido, a esposa e os filhos.
         
  • Faz parte de nossa família nossos pais ou as pessoas que são responsáveis por nós. Também fazem parte de nossa família os nossos avós. Às vezes nossa família aumenta com a chegada de outros filhos, nossos irmãos ou de alguém que vem morar conosco.

Obs.: poderá ser levado brinquedos de montar que tenham vários animais ou bonecos para que as crianças montem as famílias ou desenhos de família de pessoas, animais ou plantas para as crianças observarem os vários grupos de famílias que existem. Momento em que o evangelizador pode mostrar, através dos brinquedos, os vários tipos de família que podem ser formadas.
         
  • Apesar das diferenças, todos vão aprendendo a viver em grupo. Cada integrante da família tem um papel importante, e todos juntos, com atitudes de amor, de educação e bons sentimentos devem incentivar a união e o respeito entre os familiares e o amor a Deus e ao próximo. O lar é um local onde se aprende muitas coisas importantes, que vão ser úteis por toda a vida e até para as reencarnações seguintes.
         

Segundo momento: contar A História de Lenita

         Lenita era uma menina linda: gordinha, com as bochechas rosadas. Ela gostava muito de brincar com bonecas e correr pelo jardim atrás das borboletas coloridas.
         Ela admirava a natureza e gostava de todos os animais que havia no sítio em que ela morava com seus pais e sua irmã Lúcia. O sítio ficava longe da cidade, mas perto de sua casa passava um rio, onde a água limpinha deslizava sobre as pedrinhas. Nesse rio era possível ver os lambaris nadando; aos domingos ela e a mãe costumavam pescar lambaris para o jantar.
         Lenita adorava o sítio e sua família. Ela e sua irmã costumavam passar as tardes juntas, brincando e observando a natureza.
         Lenita, porém, não era muito obediente. Ela achava que seus pais lhe ensinavam coisas bobas, que não serviam para nada. Ela também pensava que obedecer não era importante, e que as regras da casa não eram para ela, porque ela sabia melhor que seus pais o que podia e o que não podia fazer.
         Por causa dessas ideias, Lenita se metia em muitas confusões: uma vez tomou um banho de chuva e ficou com febre por dois dias porque não obedeceu a sua mãe e foi para a escola sem guarda-chuva e sem casaco para o frio. Outra vez, Lenita gazeou aula e foi tomar banho de rio, mas caiu, quebrou o braço e sua mãe descobriu que ela estava faltando aula.
         Lenita foi crescendo e aos poucos percebeu que o que seus pais lhe ensinavam eram coisas interessantes e que eles queriam o seu bem. Sempre que desobedecia, acabava descobrindo que se tivesse obedecido o resultado seria melhor. Assim, por exemplo, se ela tivesse ouvido sua mãe e estudado para a prova, teria tirado uma nota melhor.
         Lenita também descobriu que falar a verdade é melhor que mentir, pois sempre que ela mentia além de sua mãe descobrir, Dona Augusta ficava triste com a atitude da filha.
         O tempo passou, a menina cresceu e foi estudar em outra cidade. Longe dos pais, aprendeu a dar ainda mais valor aos conselhos de seus pais. Sempre que falava com eles ao telefone, Lenita contava as novidades que havia acontecido e muitas vezes sua mãe lhe dava conselhos muito legais sobre como agir.
         Hoje Lenita está casada, e tem uma filhinha que se chama Letícia. Ela ensina para Letícia as mesmas coisas que sua mãe lhe ensinava, com o mesmo carinho e amor. Letícia também não obedece às vezes, mas Lenita através do exemplo e da conversa amorosa sempre está a lhe mostrar o caminho do bem. Com o tempo, Letícia vai aprender que aquilo que aprendemos no lar nos serve para toda a vida.
Amália Paz e Cláudia Schmidt

Conclusão: COM CERTEZA LENITA DESCOBRIU QUE FÁMILIA É UMA IDEIA GENIAL DE DEUS!

Os espíritos nos dizem na questão 774 do LE:
“Os laços sociais são necessários ao progresso e os de família mais apertados tornam os primeiros. Eis por que os segundos constituem uma lei da Natureza. Quis Deus que, por essa forma, os homens aprendessem a amar-se como irmãos.”



 

Terceiro momento - Atividade 
Montar um porta-retrato no formato de uma casinha, onde se vê a família (pedir para que cada criança desenhe a sua família) quando se abrirem as janelas ou a porta. Pode-se colar um barbante no alto da casinha para pendurá-la onde quiser.
      
Prece final

Nenhum comentário:

Postar um comentário